Inscrições para exames de acesso à UAN 2014 terão lugar de 6 a 18 de Janeiro

Publicado 30/12/2013 09:31:14

30/12/2013 09:31:14

As inscrições para os exames de acesso à Universidade Agostinho Neto (UAN), para o ano académico 2014, iniciam na próxima segunda-feira, dia 6, prolongando-se até ao dia 18 de Janeiro de 2014, segundo anuncia hoje a instituição.

Em nota de imprensa enviada à Angop, a UAN avança que para os 43 cursos ministrados nas suas 7 faculdades e no Instituto Superior de Ciências da Saúde (ISCISA), estão disponíveis 4.733 vagas.

A UAN adianta que os candidatos deverão contactar as unidades orgânicas (Faculdades e Instituto) ou consultar o Site WWW.uan.ao para obterem o regulamento dos exames de acesso 2014.

"Os exames de acesso terão lugar no período de 27 a 31 de Janeiro de 2014, conforme calendário em anexo", lê-se no documento.

Para o presente ano lectivo a Faculdade de Ciências receberá 940 novos alunos, a de Ciências Sociais mil e 440, a de Direito 200, Economia 400, enquanto a de engenharia tem reservado 723.

Já a Faculdade de Letras receberá 590 novos estudantes, a de Medicina 120 e o Instituto Superior de Ciências da Saúde (ISCISA) 320.

Angop / Agora

Opinião

  • A nossa expectativa de vida
    Júlio Gomes
  • África não é um país, é um continente. Entendam, meus senhores!
    Rúbio Praia
  • A lógica do betão
    Júlio Gomes
  • O desaire de ‘Caixão Vazio’ no dia 4 de Abril
    Rúbio Praia
  • Paz, estabilidade e desenvolvimento passam pelo respeito aos nossos direitos e liberdades
    Inglês Pinto
  • "Às nossas estradas havemos de voltar"
    Júlio Gomes
  • O concerto de MC K na Idade de Cristo e a rima honesta
    Rúbio Praia
  • O ‘canudo’ visto no feminino
    Júlio Gomes
  • Trabalho direito/dever, do não declarado ao formal
    Inglês Pinto
  • A maka das travessias aéreas
    Júlio Gomes
  • A ilusão dos números da riqueza e o bolso (estômago) do cidadão
    Mário Paiva
  • "Reprovei metade da turma"!
    Lutchíla Fuco Carlos

Confundidos pela banga do carro, do fato e da gravata

Será que vivemos mesmo numa sociedade sadia, ou, definitivamente, os nossos deuses perderam a lógica da vida ou do que é correcto?

Agora
Agora