Inscrições para exames de acesso à UAN 2014 terão lugar de 6 a 18 de Janeiro

Publicado 30/12/2013 09:31:14

30/12/2013 09:31:14

As inscrições para os exames de acesso à Universidade Agostinho Neto (UAN), para o ano académico 2014, iniciam na próxima segunda-feira, dia 6, prolongando-se até ao dia 18 de Janeiro de 2014, segundo anuncia hoje a instituição.

Em nota de imprensa enviada à Angop, a UAN avança que para os 43 cursos ministrados nas suas 7 faculdades e no Instituto Superior de Ciências da Saúde (ISCISA), estão disponíveis 4.733 vagas.

A UAN adianta que os candidatos deverão contactar as unidades orgânicas (Faculdades e Instituto) ou consultar o Site WWW.uan.ao para obterem o regulamento dos exames de acesso 2014.

"Os exames de acesso terão lugar no período de 27 a 31 de Janeiro de 2014, conforme calendário em anexo", lê-se no documento.

Para o presente ano lectivo a Faculdade de Ciências receberá 940 novos alunos, a de Ciências Sociais mil e 440, a de Direito 200, Economia 400, enquanto a de engenharia tem reservado 723.

Já a Faculdade de Letras receberá 590 novos estudantes, a de Medicina 120 e o Instituto Superior de Ciências da Saúde (ISCISA) 320.

Angop / Agora

Opinião

  • Maboque, vencedores e arredores
    Júlio Gomes
  • Separar o trigo do joio
    Norberto Costa
  • Moçambique em alta tensão político-militar
    Mário Paiva
  • "O que te move?" - perguntou Dárdano
    Benjamim M’Bakassy
  • A boa governação em África
    Júlio Gomes
  • José Craveirinha: o grito poético de afirmação da moçambicanidade
    Norberto Costa
  • Afinal, o que é Empoderamento?
    Benjamim M’Bakassy
  • De Olhos Abertos. Liderança segundo Mourinho
    Benjamim M’Bakassy
  • Cartão Amarelo. Quo vadis Petro e D’Agosto
    Mateus Xavier
  • Radar. Os buracos da rua Machado Saldanha
    Júlio Gomes
  • Luanda faz anos, mas não sabe quando elegerá os seus dirigentes autarcas
    Mário Paiva
  • Professor Bwé, o cientista angolano
    Benjamim M’Bakassy


A parte negativa da ‘nossa’ atitude solidária

As vítimas das cheias em Benguela, ainda que provisoriamente, estão a ser instaladas em tendas, longe dos olhares de todos. Mas será isso solidariedade ou não se tem o devido respeito e dignidade para com o nosso próprio povo, que inculto ou mal-educado, é mesmo o nosso povo?

Agora